PUBLICIDADE
Topo

Mora nos Clássicos

Do Japão a Alemanha em um Porsche 356 1953

Rodrigo Mora

07/07/2018 08h00

(STUTTGART) – Toshiyuki Suzuki planejou ir do Japão a Zuffenhausen, distrito de Stuttgart (Alemanha) onde fica a Porsche, por dez anos. Foi, enfim, saindo de casa no dia 18 de abril. Embora tenha outros carros da marca na garagem, sequer pensou em outro além do 356 de 1953, que "foi produzido no mesmo ano em que o primeiro 356 desembarcou no Japão", conta ele.

Em algum lugar no meio da Rússia (Foto: Toshiyuki Suzuki)

No caminho, rasgou quase toda a Rússia, que então estava nos preparativos finais para a Copa do Mundo. Parou em Gmünd, na Áustria, para visitar o Porsche Automuseum Pfeifhofer, primeiro museu privado da Europa dedicado a carros da fabricante alemã. Conheceu pessoalmente o 356 número 1, com quem se reencontraria dias depois.

Não se sentiu sozinho em momento algum, mesmo quando olhava para a direita e não via o banco do passageiro. "A ideia era reduzir peso, e acabei conseguindo colocar mais bagagem dentro do carro, aliviando o bagageiro. Até pensei em dormir ali, mas não dormi", relembra Suzuki, que fez amizade com amantes da Porsche na Rússia, na Áustria e na Itália.

Qual sentimento o manteve focado durante a viagem? "Eu queria apenas chegar a Zuffenhausen com meu 356. Só isso", resume, sem dramas.

50 dias depois, Suzuki chega ao Porsche Museum (Foto: divulgação)

Após 50 dias e 15.463 quilômetros, conquistou já na primeira tentativa seu "pico do Everest" em 7 de junho, véspera do início das comemorações dos 70 anos da fabricante alemã. No Porsche Museum, foi recebido por gente da marca e de clubes que homenageiam carros da empresa – ele próprio é presidente do 356 Japan Club. "Terminei antes do que eu imaginava. Quero tentar de novo quando a Porsche fizer 80 anos", promete Suzuki.

Talvez seja com o mesmo 356, que não teve sequer um pneu furado, apenas uma bomba de combustível trocada. E mesmo sem a primeira marcha, chegou lá.

Viagem feita a convite da Porsche.

O 356 que veio do Japão rodando ficará no museu da Porsche até o fim do ano (Foto: Rodrigo Mora)

 

 

Sobre o autor

Rodrigo não Mora apenas nos Clássicos. Em sua trajetória no jornalismo automotivo, já passou por Auto+, iG, G1, Folha de S. Paulo e A Tarde - sempre em busca do que os carros têm a dizer. Hoje, reúne todos - clássicos e novos - nas páginas das revistas Carbono UOMO e Ahead Mag e no seu Instagram, @moranoscarros.

Sobre o blog

O blog Mora nos Clássicos contará as grandes histórias sobre as pessoas e os carros do universo antigo mobilista. Nesse percurso, visitará museus, eventos e encontros de automóveis antigos - com um pouco de sorte, dirigirá alguns deles também.