PUBLICIDADE
Topo

Mora nos Clássicos

Museu da Porsche revela vácuo de 117 anos na mobilidade elétrica

Rodrigo Mora

18/06/2018 13h29

(STUTTGART) – Quase no fim da exposição sobre os 70 anos da Porsche, o visitante do museu encontra dois modelos separados por 117 anos e com uma ligação improvável: a eletricidade.

O mais antigo é o Egger-Lohner C2 Phaeton, primeiro veículo projetado por Ferdinand Porsche, em 1898. Tinha um motor elétrico que produzia 3 cv a 350 rpm, podendo chegar a 5 cv por curtos períodos e levar o carro aos 35 km/h de máxima. Era alimentado por uma bateria de aproximadamente 550 kg, instalada na traseira do carro. A velocidade era controlada por uma espécie de manche, com 12 posições: seis velocidades à frente, duas à ré e quatro níveis de frenagem.

Egger-Lohner C2 Phaeton no Porsche Museum

Quem duvida da grandeza do C2 Phaeton para aqueles dias não deve saber que, ao volante dele, Ferdinand Porsche venceu uma corrida de 40 km em Berlim. Serviu como ensaio para algo ainda mais sofisticado para a época.

"Por volta de 1900, um veículo elétrico movido por motores instalados nas rodas, conhecido como Lohner-Porsche, causava rebuliço na Exposição Universal de Paris como o primeiro veículo de passeio com tração nas quatro rodas do mundo. A próxima ideia de Ferdinand Porsche foi igualmente pioneira: no mesmo ano da Exposição Universal de Paris, Porsche combinou sua unidade movida a bateria com um motor a gasolina, e a ideia por trás da unidade híbrida serial nasceu. Conhecido como o "Lohner-Porsche Mixte", esses veículos entraram em produção em série em 1902", conta a Porsche.

Em janeiro de 2014, o veículo foi resgatado de um galpão na Áustria, onde permanecera guardado desde 1902. Jamais restaurado, ainda exibe partes descascadas da pintura frontal, preta. No museu, recebeu apenas placas laterais de acrílico, simulando o formato da carroceria original.

A poucos metros dele está o Mission E, protótipo revelado em 2015 que apresentou ao mundo as diretrizes estéticas e tecnológicas da Porsche para a mobilidade do futuro. Dele nascerá o Taycan, primeiro carro elétrico da Porsche de produção em série. Com autonomia de 500 km e aceleração até os 100 km/h em 3,5 segundos, começa a ser vendido em 2019 – mais de 120 anos depois de Ferdinand Porsche considerar a eletricidade a melhor maneira de movimentar automóveis.

Viagem feita a convite da Porsche. 

Mission E exposto no Porsche Museum

Sobre o autor

Rodrigo não Mora apenas nos Clássicos. Em sua trajetória no jornalismo automotivo, já passou por Auto+, iG, G1, Folha de S. Paulo e A Tarde - sempre em busca do que os carros têm a dizer. Hoje, reúne todos - clássicos e novos - nas páginas das revistas Carbono UOMO e Ahead Mag e no seu Instagram, @moranoscarros.

Sobre o blog

O blog Mora nos Clássicos contará as grandes histórias sobre as pessoas e os carros do universo antigo mobilista. Nesse percurso, visitará museus, eventos e encontros de automóveis antigos - com um pouco de sorte, dirigirá alguns deles também.