Topo
Mora nos Clássicos

Mora nos Clássicos

Ferrari 250 GTO, US$ 48 mi, lidera ranking dos mais caros leiloados de 2018

Rodrigo Mora

2010-01-20T19:08:00

10/01/2019 08h00

(SÃO PAULO) – Na lista dos clássicos mais valiosos leiloados em 2017, divulgada no ano passado, a Ferrari dominou com seis modelos – o mais caro do rol fora uma 250 GTO 1962, arrematada por US$ 38.115.000. Presentes em 2017, Alfa Romeo e Aston Martin se mantiveram no ranking, enquanto Mercedes e Jaguar deram lugar a Porsche e Ford. E, novamente, quem encabeça a lista é um esportivo de Maranello. 

Ferrari 250 GTO 1962, chassis número 3413: US$ 48.405.000 (RM Sotheby's, Monterey, EUA).

(Imagem: Patrick Ernzen/RM Sotheby's)

Ferrari 290 MM 1956, que pertenceu ao pentacampeão de Fórmula 1 Juan Manuel Fangio: US$ 22.005.000 (RM Sotheby's, Los Angeles, EUA).

(Imagem: Remi Dargegen/RM Sotheby's)

 

Duesenberg SSJ 1935, um dos dois únicos produzidos: US$ 22.000.000 (Gooding & Company, Pebble Beach, EUA).

(Imagem: Mathieu Heurtault/Gooding & Company)

Aston Martin DP215 1963: US$ 21.455.000 (RM Sotheby's, Monterey, EUA).

(Imagem: Simon Clay/RM Sotheby's)

 

Aston Martin DB4GT Zagato '2 VEV' 1961: US$ 13.516.000 (Bonhams, Goodwood Festival of Speed, Inglaterra)

(Imagem: Bonhams)

 

Ford GT40 MKII 1966, chassis P/1016, 3o colocado nas 24 Horas de Le Mans de 1966: US$ 9.795.000 (RM Sotheby's, Monterey, EUA).

(Imagem: RM Sotheby's)

 

Ferrari 275 GTB Speciale 1965, carro pessoal de Battista Pininfarina (fundador do estúdio de design que leva seu nome): US$ 8.085.000 (Gooding & Company, Scottsdale, EUA).

(Imagem: Gooding & Company)

 

Ferrari 250 GT 'Tour de France' 1958: US$ 6.600.000 (Gooding & Company, Pebble Beach, EUA).

(Imagem: Gooding & Company)

 

Alfa Romeo Tipo B Grand Prix Monoposto 1932, que fizera parte da Scuderia Ferrari e último carro da Alfa a conquistar uma vitória antes da II Guerra Mundial: US$ 6.068.000 (Bonhams, Goodwood Festival of Speed, Inglaterra).

(Imagem: Bonhams)

 

Porsche 959 Paris-Dakar 1985: US$ 5.945.000 (RM Sotheby's, Atlanta, EUA).

(Imagem: Robin Adams/RM Sotheby's)

Sobre o autor

Rodrigo não Mora apenas nos Clássicos. Em sua trajetória no jornalismo automotivo, já passou por Auto+, iG, G1, Folha de S. Paulo e A Tarde - sempre em busca do que os carros têm a dizer. Hoje, reúne todos - clássicos e novos - nas páginas das revistas Carbono UOMO e Ahead Mag e no seu Instagram, @moranoscarros.

Sobre o blog

O blog Mora nos Clássicos contará as grandes histórias sobre as pessoas e os carros do universo antigo mobilista. Nesse percurso, visitará museus, eventos e encontros de automóveis antigos - com um pouco de sorte, dirigirá alguns deles também.