Topo
Mora nos Clássicos

Mora nos Clássicos

Salão de SP terá festa de 50 anos do Opala, carreata VW e Fiat 500 "fofo"

Rodrigo Mora

01/11/2018 16h00

(SÃO PAULO) – Difícil cravar qual será o principal lançamento do Salão do Automóvel de São Paulo. Em 1968 foi o Chevrolet Opala, que nesta 30ª edição (8 a 18 de novembro, no São Paulo Expo) será homenageado pelos 50 anos de vida.

No dia 16, na área externa do pavilhão, serão expostas as versões mais icônicas da gama. A intenção dos organizadores (General Motors do Brasil, Chevrolet Clube do Brasil de Carros Antigos e Clube do Opala) é mostrar ao público um exemplar de cada fase da linha Opala/Caravan – um De Luxe 1969, um SS quatro-cilindros 1976, um SS seis-cilindros 1976, um Comodoro 1978, um Comodoro 1986 e um Diplomata Collectors 1992 já estão confirmados.

Este SS 1976 será uma das atrações da reunião de Opalas no Salão de São Paulo (Foto: Clube do Opala/Divulgação)

Se na edição anterior os carros antigos tiveram presença tímida, nessa quem curte o assunto terá mais para apreciar. No sábado, 10, uma carreata de Volkswagens sairá do centro técnico da marca rumo ao evento, que abrigará modelos como Kombi, Fusca e Gol, entre outros.

Dia 13, a Noite Renault – que tradicionalmente acontece no AutoShow Collection – apresentará modelos importantes da história da marca francesa, como Juvaquatre, Type EF e um Twingo com apenas 3.000 quilômetros. Também é provável que o R8 Gordini (que já dirigimos) de Emerson Fittipaldi esteja lá.

Renault Juvaquatre 1950 (Foto: Olivier MARTIN-GAMBIER/Divulgação)

Haverá clássicos também dentro do Salão. No estande da Fiat, um Cinquecento 1969 azul, com acessórios de época, nos leva a acreditar que a marca voltará a comercializar o compacto (em sua geração atual, obviamente) no mercado brasileiro.

Ao lado da Fiat, a Jeep terá um Willys M38A1 1953. Modelo militar, antecipou as evoluções da versão civil, o CJ-5, que seria lançado em 1955 e que foi produzido aqui no Brasil de 1957 a 1982.

A Porsche, que comemora 70 anos, exibirá um 356 1957 1600 Super, enquanto a Toyota levará um Bandeirante e a Mercedes-Benz, o primeiro Classe G a desembarcar no Brasil.

 

Sobre o autor

Rodrigo não Mora apenas nos Clássicos. Em sua trajetória no jornalismo automotivo, já passou por Auto+, iG, G1, Folha de S. Paulo e A Tarde - sempre em busca do que os carros têm a dizer. Hoje, reúne todos - clássicos e novos - nas páginas das revistas Carbono UOMO e Ahead Mag e no seu Instagram, @moranoscarros.

Sobre o blog

O blog Mora nos Clássicos contará as grandes histórias sobre as pessoas e os carros do universo antigo mobilista. Nesse percurso, visitará museus, eventos e encontros de automóveis antigos - com um pouco de sorte, dirigirá alguns deles também.